mai 8 2009

Milkbom – Tarde ensolarada e milk shake de vodka

Passeio a tarde, fim de semana e cidade pequena. Não é uma situação que nos dá muita opção, o jeito foi procurar uma boa sorveteria em Siqueira Campos.

Três quadras mais “tarde” achei a Milkbom, uma certa muvuca na frente foi indicação de qualidade, então fiquei por ali mesmo (até porque o sol tava forte).

Milkbom - Placa de milk shakes

Olhando na placa, tinha a minha escolha 25 sabores, fiquei encucado com um “proibido para menores de 18 anos”. Aguardei e na minha vez de ser atendido perguntei o que era e descobri que o milk shake poderia ser batizado com vodka, amarula ou vinho.

Continue reading


mar 19 2009

Festival de Curitiba: Festa de Abertura 2 – A missão

Festival de Curitiba - SeloDessa vez sim, fomos a festa de abertura do Festival de Curitiba e essa era aberta ao público!

Não, não tinha mais bebidas e comidas de graça… Mas os quiosques da Heineken estavam funcionando e pudemos tomar alguns goles de cerveja e caipirinha!

Festival de Curitiba - Quiosque

O salão ficou grande para a quantidade de gente que compareceu nessa quarta-feira, mas, como quantidade não quer dizer qualidade, dessa vez ficamos até ver todas (as duas) bandas!

Festival de Curitiba - Chegada na festa Festival de Curitiba - Farofa e Balanço

Continue reading


mar 18 2009

Festival de Curitiba: Festa de Abertura

Começo de semana e já começamos a todo o vapor com o Festival de Teatro de Curitiba.

Festival de Curitiba - Nós na festa de abertura

Ontem a noite fomos à festa de abertura e – devido às diversas informações desencontradas – não sabemos dizer se era ou não aberta ao público, diversos sites diziam que a festa é hoje e outros que era apenas ontem e alguns, ainda, que era ontem e hoje! Bom, como não tí­nhamos certeza de nada, fomos ontem mesmo – para nossa sorte.

Festival de Curitiba - Fachada CIETEP: Festa de abertura Festival de Curitiba - Entrada festa de abertura

Continue reading


mar 13 2009

Soviet – Vodka preta e happy-hour de sexta

Após o aniversário de um amigo num cachorro-quente – fica para um outro post – e muita discussão do que fazermos, e eu com uma vontade imensa de tomar a vodka preta, decidimos pelo Soviet Bar! Um bar que se auto-intutila “russo”, fomos ver qual é.

Soviet Bar - Cardápio

O pessoal que estava me acompanhando – e que não bebe – ficou se enrolando com o cardápio (esse acima) escolhendo doces (!) para comer, eu como não tinha dúvida alguma nem pensei duas vezes e tratei de perguntar ao garçom qual era a vodka preta.

Soviet Bar - Blavod (famosa vodka preta) Soviet Bar - Strogonoff de nozes

Algum tempo depois – perguntando a algum garçom mais experiente – surge o primeiro dizendo que o nome da vodka é Blavod (uma pequena consulta ao cardápio R$12,00) e mesmo assim resolvi tomar.  Ela vem estupidamente gelada e o copo e a garrafa chegam estarem congelados. Continue reading


mar 10 2009

Aoca Bar – Forró na Quinta!

Dessa vez a parada da noite foi no Aoca Bar, uma das baladas que já sabíamos, tem bom movimento na quinta-feira!

O forró era comandado pelo Trio Destilado, um grupo bem animado composto de… 5 pessoas! Com músicas bem tocadas, apesar do espaço apertado em alguns dias, há vários casais que se arriscam na famosa arte da dança!

Aoca Bar - Trio Destilado! Aoca Bar - Dança!

Já tinha ouvido falar do “famoso” drink moranguito e resolvi experimentar uma, duas, três vezes só para garantir que é bom! E é realmente bom, mas calma lá! Tem todo um ritual para se tomar o moranguito:

  1. Você pede a bebida (claro!);
  2. Toma tudo de uma vez só!
  3. Rapidamente tampa o copo com a mão enquanto sente o gosto do moranguito…
  4. Abre um pequeno buraco na sua tampa/mão e puxa todo o ar que estava lá dentro e luta pra não lacrimejar

Aoca Bar - Moranguitos!

Depois de alguns toma/tampa/puxa você vai notar, como eu notei que é fácil se perder com esse drink! Para os curiosos, o moranguito é composto de: vodka, licor de côco e groselha (se não estou enganado – sabe como é… amnésia alcóolica!).

Mas vamos aos maiores detalhes sobre o bar! O lugar é bem escondido, se ninguém lhe avisar, é capaz de passar fácil pela frente e não achar a porta. A única placa que se vê é essa:

Aoca Bar - Entrada Aoca Bar - Placa

O interior do lugar é pequeno, meio escuro, mas nada assustador. Tem dois andares e algumas mesas na parte de cima.

Os banheiros são um pouco bem sujos e não tente, em hipótese alguma, entrar no banheiro com o copo de cerveja na mão. Tentei e levei uma braçada no pescoço no mais gentil gesto de “não pode entrar com copo no banheiro, obrigado” – não imagino qual o grande problema de alguém levar o copo ao banheiro, mas decidi não discutir.

Tirando esse incidente, nenhum problema com o bar! O público é simpático, jovens – grande parte universitários – na faixa dos 20… 25 anos e várias rodinhas de amigos bebendo e conversando. Em termos de forró da capital paranaense, uma boa opção!

Mas ficamos devendo ainda de beber as outras bebidas “diferentes” do cardápio, até imagino que seja uma vertente do moranguito. Duas, das que eu lembro, tem alguma referência (no nome) aos smurfs e a E.T. (e devem ser azul e verde, respectivamente) e outras que – volto a frisar – a amnésia alcóolica não me permitiu lembrar e muito menos anotar.


fev 7 2009

Layout 80 – Baladinha sexta a noite

Para mudar um pouco o estilo dos locais que temos andado, fomos ouvir um pouco de música dos anos 80, num bar que o foco é exatamente esse: Layout 80.

Entrada

Antes de iniciar a história, tenho que avisá-los que, por problemas de logística, estava sem a câmera, então todas as fotos foram tiradas via celular. Mas vamos ao que interessa, a noite de sexta-feira.

Decoração Parede com astros

Logo na entrada vemos algo diferente da maioria das casas noturnas de Curitiba, a fila não estava grande. Tudo bem que cheguei cedo (aproveitar o double drink de vodka eristoff), mas todas as vezes que resolvi ir pro lounge durante a noite, não tinha fila muito grande. O esquema da casa é disponibilizar um lounge com bebida, uns poucos sofás, algumas cadeiras e música, enquanto distribuem senha pra galera entrar na pista. Mas ultimamente tudo está vazio, não sei como é a lotação pós-carnaval (depois que a galera voltar da praia).

Bar lá em baixo (paraíso)

Existem 3 bares na casa, um no lounge e dois na pista, sendo que só o bar debaixo e do lounge servem a vodka (afinal, foi pra isso que fomos lá), o que tem bem perto da pista só pra água, bera e refri.

As doses não eram pequenas, mas também não eram nenhuma coisa gigante, bom tamanho. Ainda mais com o double durando até 1:00.

A música é um caso a parte, pra quem gosta de música, e conhece bastante, vai pirar nas mais diversas bandas que o DJ põe pra galera se mexer (é, sem música ao vivo).

Galerinha fervendo na pista Galerinha fervendo na pista

Como gostamos de música, anotamos algumas das bandas que conseguimos reconhecer: Inxs, David Bowie, A-ha, Couting Crows, Midnight Oil, Old Finger, The Cure, The Smiths, U2, Madonna, Depeche Mode, Michael Jackson, Erause, Cindy Lauper, Ira!, Corona, Ace of Base,  Talking Heads, Guns ‘n Roses, Lenny Kravitz, Red Hot Chilli Peppers, REM, Blondie, Glenn Frey (garanto que vendo o vídeo vocês lembram), Men at Work e, lá pelas 3:00, começou um tuntx tuntx e desisti de tentar lembrar e anotar o resto (será a vodka?).

Banheiro masculino Banheiro feminino

Todas as vezes que fui ao banheiro ele estava cheiroso, não sei o que fazem. As portas para entrar na pista e sair do banheiro – depois de várias vodkas – ficam de difícil perceber se devem ser puxadas ou empurradas, ainda mais com o tanto de álcool no cérebro.

Perto das 4:00, pedi arrego e fui pra água, e o pior, estava quente. Mas a sede era maior e água na temperatura ambiente (no estado em que me encontrava) nem incomodou tanto.

Em alguma das vezes que fui ao lounge, tinha uma menina – tinha um pessoal bastante bonito, principalmente a mulherada – passando mal de bêbada, galera, beber é bom, com double ainda melhor, mas cuidado. E nada de beber se for dirigir. (;

Fila na hora de pagar Caixa com os CDs na prateleira

Conversando com a menina do caixa, querendo saber que cd era o que tinha em cima do balcão, descobri que a casa tem tipo um plano de fidelidade, nesse ponto acho que falta divulgação, como tem muito detalhe, vale visitar o site (seção “fidelidade”) pra conferir como funciona.